Seleção de Bons Advogados, além da Indicação.

 Quem nunca ouviu uma história ou conhece alguém que foi contratado por ser amigo dos sócios, por ser bonito fisicamente ou por ser um velho conhecido da família? Alguns escritórios que possuem gestões ainda muito tradicionais, só contratam profissionais através de indicação, pois “teoricamente” essas pessoas são mais confiáveis do que as outras que estão no mercado.

Em diversos momentos nos deparamos com histórias em que a empatia ou a indicação de certo profissional fizeram a diferença no ambiente corporativo e como recrutadores ou candidatos, provavelmente já passamos por situações parecidas.

Semelhante atrai Semelhante

Recentemente uma pesquisa da Kellog School of Management, realizada com 120 gestores de recrutamento em bancos de investimentos, escritórios de advocacia e consultoria dos Estados Unidos, demonstrou que muitos recrutadores tendem a contratar profissionais que gostariam de ter como amigo (ou como affair) e valorizar profissionais que se assemelham a cultura do escritório ou de certa forma, a cultura que eles (recrutadores) desejam. Em escritórios de advocacia essa realidade parece ainda mais crítica, pois muitos contratantes buscam “alguém que irá se encaixar” no escritório, desconsiderando outras capacidades, conforme a afirmação de um dos advogados entrevistados pela pesquisadora.

Segundo Lauren Rivera, professora responsável pelo estudo, “os entrevistadores privilegiavam seus sentimentos de conforto, validação e empolgação mais do que a identificação de candidatos com habilidades cognitivas e técnicas superiores”. (Leia a pesquisa na íntegra.)

Apesar de sabermos que a empatia e confiança são essenciais para a contratação de um bom advogado, outros aspectos tão ou mais importantes devem ser considerados na avaliação de um candidato.

Quais aspectos são importantes?

Além dos aspectos técnicos, é preciso entender a necessidade da vaga que está aberta e descobrir os motivos que levaram o escritório a abrir aquela posição ou substituir o advogado que a ocupava. Por diversas vezes, nós acreditamos que achamos a pessoa certa para o cargo, porém, quando a colocamos na posição, percebemos que há um contraste entre o que o escritório desejava e o que o advogado esperava. Assim, esclarecer os objetivos da contratação para ambos (escritório e advogado) é essencial para garantir bons resultados no futuro.

Outro tópico importante é identificar o estágio de desenvolvimento e as expectativas de ascensão profissional desse advogado nos próximos anos e posteriormente comparar com as expectativas de crescimento do escritório. Assim será possível traçar um plano de carreira dentro da posição e evitar surpresas como o desligamento precoce dessa pessoa.

Conte com a gente!

Nossa experiência em seleção de advogados e outros profissionais do direito demonstra que em muitas vezes os escritórios desconhecem características importantes para selecionar pessoas ou se conhecem, não sabem como aplicar ao seu contexto. Há mais de 17 anos, a Oliveira Campos Consultoria realiza processos de recrutamento e seleção de advogados buscando identificar pessoas que tenham afinidades com a proposta das organizações e, desta forma, gerar os resultados que estas necessitam.

Existem algumas metodologias e nós conhecemos diversas delas capazes de selecionar bons advogados. Além da empatia, da compatibilidade com a cultura do escritório e dos aspectos técnicos necessários, é preciso compreender outros elementos que fogem das preferências pessoais dos contratantes.Caso sua equipe de gestores esteja qualificada para realizar uma boa seleção de advogados, não hesite em continuar. Mas, se acredita que muitas vezes esse processo é prejudicado por impressões pessoais, é melhor procurar empresas especializadas para esta atividade. Nesse e em outros momentos, a Oliveira Campos está preparada para suprir essas necessidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *