Você já Pesquisou o Perfil de um Candidato Para Conferir os Dados Informados?

O uso de redes sociais propôs uma maneira fácil e interativa de se relacionar com candidatos e empresas. Tarefas como divulgar vagas e buscar profissionais ganham rapidez e agilidade, além de reduzir o tempo utilizado nas avaliações feitas pelos recrutadores.

Pesquisas comprovam que grande parte dos recrutadores e consultores acreditam que o perfil apresentado nas redes influencia na escolha por um profissional, do mesmo modo que um perfil negativo pode ser o suficiente para desconsiderá-lo antes mesmo do primeiro contato.

Definir o perfil desejado é o primeiro passo. Experiências anteriores, formação acadêmica, especializações, idiomas, características comportamentais são itens essenciais na procura por bons pretendentes.

Posteriormente é necessário definir onde procurar e/ou divulgar vagas. Hoje existem redes apenas para o relacionamento profissional como o LinkedIn e outras redes indicadas para analisar os perfis comportamentais dos candidatos, como o Facebook e o Twitter, que auxiliam também na divulgação de vagas com ferramentas de apoio como “Curtir”, “Compartilhar” e o “Retweet”.

Os executivos brasileiros utilizam o LinkedIn principalmente para verificar a veracidade das referências apresentadas durante o processo seletivo. A rede ainda conta com mais uma função importante na busca por profissionais: a visualização das “conexões” deste profissional, pois em muitos momentos mesmo que o recrutado não esteja dentro do perfil desejado para a vaga, ele pode estar conectado com outras pessoas que se encaixam na descrição do cargo. Ainda neste contexto, a participação em grupos profissionais ou de empresas também ajuda na procura por um profissional adequado, focando no segmento específico em que deseja buscar.

Para análise de características pessoais, as redes mais indicadas são o Facebook e o Twitter. Por estarem entre as mais acessadas no mundo e com um volume de informação muito grande, é possível descobrir traços comportamentais das pessoas que estão sendo recrutadas.

Comentários preconceituosos, vulgaridade, intolerância, reclamações do atual ou do emprego anterior e ausência de responsabilidades são aspectos recorrentes em perfis presentes nas redes e devem ser considerados na avaliação comportamental.

O lado bom X o lado mau

Contudo, outras particularidades podem definir o modelo desejado e apresentar virtudes que ficaram escondidas nas entrevistas ou em dinâmicas de grupo.

Características como o relacionamento com outras pessoas, vídeos e imagens postadas, referências a matérias publicadas e análise sobre diferentes assuntos devem também compor a avaliação comportamental.

Em nosso trabalho cotidiano de selecionar profissionais que tenham afinidades com a proposta de nossos clientes, usamos as redes sociais como importante alicerce em nossa avaliação, possibilitando encontrar características que se encaixem perfeitamente para a vaga e a cultura de cada empresa.

Por fim, lembre-se: a tecnologia está presente no contexto atual e deve ser aproveitada da melhor maneira. O uso de redes sociais para o recrutamento de candidatos deve ser utilizado, porém nunca substituir uma avaliação pessoal e criteriosa feita na entrevista pelo recrutador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *