O que Conta Mais: Um Bom Currículo ou Um Ótimo Relacionamento Interpessoal?

Em matéria publicada no Canal Executivo, do portal UOL, o Consultor e Diretor da Oliveira Campos Consultoria, Sebastião Campos, afirma que as características das pessoas que apresentam inteligência comportamental são:

  • Foco de carreira bem estabelecido;
  • Alta energia produtiva e;
  • Transparência no dia a dia profissional.

Nem sempre é fácil encontrar um profissional qualificado para preencher uma vaga de emprego.

Como escolher?

Pois é, ficou para trás o tempo em que bastava ter currículo. Hoje, o comportamento também pesa. Por isso é bom saber que a inteligência comportamental ou inteligência do sucesso – como é chamada por alguns especialistas – não é relacionada com o nível de conhecimento, mas sim com o comportamento e a facilidade de se relacionar com os colegas.

Segundo esses especialistas, investir na busca de colaboradores com bom comportamento pode ser a melhor saída para as empresas criarem um ambiente de trabalho tranquilo e funcional. Uma pesquisa divulgada recentemente nos Estados Unidos afirma que empresas de tecnologia já estão em busca de profissionais com ‘boa personalidade’.

“Nós podemos afirmar que essa é uma tendência também no Brasil. Várias empresas acabam nos procurando em busca de profissionais que se encaixem nas características da inteligência comportamental”, diz Sebastião de Oliveira Campos, diretor da Oliveira Campos Consultoria.

Quais são essas características?

As características das pessoas que apresentam inteligência comportamental são: foco de carreira bem estabelecido, alta energia produtiva e transparência no dia a dia profissional. Segundo Oliveira Campos, as empresas que desejam encontrar colaboradores com a inteligência do sucesso, devem analisar o histórico profissional deles e checar quantas realizações profissionais conseguiram atingir até aquele período.

Para ele, o principal é não deixar se seduzir somente pelas competências técnicas, pois o que ele tem de conhecimento deve ser proporcionalmente igual em relação ao comportamento.

Mas com toda essa discussão levantada sobre inteligência comportamental, especialistas alertam também sobre os cuidados que as empresas devem tomar na hora de fazer uma contratação baseada no ‘QI’, o famoso Quem Indica. Independentemente de quem o indica, o candidato deve passar por um processo de seleção da mesma forma que os outros candidatos.

“É importante ressaltar que a indicação deve ser sempre analisada com dois olhos. O lado bom de contratar um profissional indicado é que você possuirá referências dele. Por outro lado uma empresa jamais deve contratar um funcionário apenas por uma indicação”, afirma Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *